manuelmelobento@gmail.com

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

caixa funerária dos depósitos e outras bocas em estio...


"o velho estado português começou a dissolver-se mesmo nas barbas de democratas e republicanos. em contrapartida o estado português está a tornar-se num grande banco com sucursais de elite onde agentes ideológicos e mercantis se infiltraram. "

"marcelo rebelo de sousa nem é social-democrata, nem socialista nem o que se queira pensar acerca dele. ele é todo atento a portugal e aos portugueses. está a cair no goto que nem ginjas na fauna popular. arrisca-se a fazer de futuro o papel real. isto é, um monarca que só tem como aliado o povo. neste caso o povo sacrificado pelos consecutivos golpes que lhes são aplicados em forma de impostos. costa já topou o jogo marcelista e colou-se-lhe com alegria até nas alfinetadas que leva dia sim dia não. é tudo lucro!"

"o que caracteriza este presidente marcelo rebelo de sousa é que só descansa quando está a trabalhar."

"antónio costa provou que se pode governar só com inteligência. parece um balão de hidrogénio que todos querem apanhar para o rebentar. apoiantes e opositores dizem dele o que o outro não disse do chouriço mouro. milagre! pela primeira vez amigos e inimigos unem-se num coro que mais parece o coro feminino da antiga emissora nacional. o que quer dizer falas inócuas, inofensivas, anódinas que serviam de analgésico para as dores de estômago. para as dores de estômago? sim, que quando se tem fome dói a barriga."

"com a mais que provável eleição da senhora clinton, vai começar a caça ao tesouro por parte das mulheres em todo o mundo. a próxima vítima internacional será o beato guterres. leonor beleza é a reserva nacional que a direita apresentará a seu tempo. a esquerda piadosa (de pia) acamada e bancária também apostará nela. antónio costa percebendo a questão e para queimar mais uma possível sombra negra sobre o "seu" ps (expetante presidencial), tentou enfiá-la na caixa funerária, perdão, caixa geral, para enterrá-la depois de ela se queimar com aquilo que aquele quase ex-banco público vai parir muito em breve. se leonor beleza não fugir daquela armadilha é porque está a perder qualidades. e, neste caso, mais uma vez costa terá razão. todos sabemos, por exemplo, que se forem dizer a costa que o palácio de belém está a arder que ele dirá: estamos atentos, mas deixemos a solução da catástrofe a quem de direito, que como se sabe são os bombeiros."

terça-feira, 16 de agosto de 2016

constança urbano de sousa dentro do fogo que outros ateiam


o forcing que a comunicação social costuma infligir a certas personalidades políticas que cometem pequenos erros está escarrapachada no envolvimento circular fotogénico que constança urbano de sousa tem sido vítima. ele é a desautorização a que foi sujeita pelo primeiro-ministro, ele é ela colocada ao pé de um presidente de câmara que a desdiz, ele é dona constança a não acreditar que bombeiros que estão no terreno luminífero super aquecido tenham passado fome, etc. susana, com aquele ar de quem é acordada a meio da noite aos gritos de há fogo, é confrontada perante um negócio muito quente  que implica dinheiros públicos e apagamento de fogos que cheiram a esturro ou crime. a senhora não estava preparada nem documentada para enfrentar este crónico problema da área dos fogos. que raio colaboradores tem ela no seu gabinete de trabalho? o seu ministério tinha outras preferências-urgências politicamente mais prementes como sejam a entrada de novos efetivos na polícia (de 800 admitidos, 500 foram à vida) e também a falta contínua de dinheiro. aquele ministério chamusca muito imagens... colocaram-na à frente de um ministério que ninguém quer. é um ministério que queima muito daí que os primeiros ministros sejam malandros o suficiente para o entregar na mão de ingénuos, competentes mas sem maldade. enquanto portugal ardia entre lume brando com as viagens político-beneficiárias e fogo à peça lá para os lados da mártir arouca, dona constança estava numa festa. esta foi a primeira banhada a que foi sujeita pelos mídia televisivos dos escândalos em que se tornou  a nossa pobre comunicação social. quer dizer, uma coisa nada tem a ver com a outra, mas  nós por cá gostamos de emporcalhar quando não arranjamos solução para coisas do arco da velha. todos os anos temos fogos nos dias tais e tais. só falta fazer um calendário dos incêndios enfeitado com gajas nuas. uma boazona para fogos-agosto do norte, outra mais despida para o centro e para o sul o flash gordon em fraldas para todos os apetites. se só naqueles dias do mês de agosto há maior incidência de lumes por que razão não se preparam as "tropas" para estarem em estado de prevenção? eh pá, eu não percebo nada de lumes! fico-me por aqui neste palpite. termino já que o meu tempo está a esgotar-se. do mal o menos, isto é, tenham bons fogos, isto é, façam um bom seguro contra incêndio. 
varett

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

mulheres à parte que são perigosas. até na caixa geral? é o que vamos ver a seguir.

porque razão os barcos de guerra antigamente não incluíam mulheres a bordo como tripulantes? é preciso responder? claro! o fato de  uma mulher a bordo com marinheiros que passavam semanas sem ver um rabo de saia podia transformar-se num motim. o tesão é perigoso pois torna o homem um verdadeiro homem, isto é, uma besta como qualquer búfalo, por exemplo. e hoje? não há perigo porque nos barcos de guerra ou  mercantes com   mulheres a bordo não abrem crise. as mulheres (modernas) libertaram-se e uma queca é coisa tão simples como quem vai ao bacalhau com natas na tasca da chica afonso. as mulheres estão a tomar o espaço que tradicionalmente pertencia aos homens. já não existe isso de coisas de mulher como mandar na cozinha, de passar a ferro a roupa da trupe, limpar o cu às crias, estar por baixo como fazendo papel de missionário quando há  tempo para fornicar, ir às compras de alimentícios, etc. onde estão as mulheres há sempre buracos. calma que não é disso que estou a tratar. eu explico: onde estão as mulheres os golpes diminuem. as mulheres aplicam consciência social aos atos e comportamentos públicos.  este tipo de raciocínio deve-se ao fato das movimentações mais ou menos encapotadas de altos quadros dos bancos privados que estarão prontos a entrar nos corpos administrativos da dita caixa. claro que o bce não está inocente de tamanha patranha que se prepara. ora, as mulheres não guardam segredos por muito tempo. as mulheres são muito mais transparentes do que os homens. aqui reside o medo que elas pusessem a boca no trombone aquando das próximas tranches in caixa. o fato de haver uma mulher na caixa para inglês ver é só para dar um toque de dignidade. a doutora leonor não tem tempo para perder com reuniões "secretas" e cocktails pois tem a seu cargo a importante fundação champalimaud. todos os que percebem da poda sabem que leonor beleza pertence a uma das mais importantes famílias nacionais. é uma mulher poderosa. enquanto ela se mantiver como administradora de fachada e ausente nas negociatas a caixa vai comer parte da importância de tal dama da sociedade portuguesa. se fosse ela fugia a sete pés que aquilo vai dar bronca da grossa. não percebo porque o governo ps não colocou a arquiteta roseta, ela sim, uma combatente do pós 25 de abril. das poucas que faz com que a causa pública seja dignificada . medo que ela os  pudesse desmascarar e os levasse a entrar nas carrinhas da pj para serem inquiridos pelo grande juiz? com certeza que sim.  admira-me que as mulheres que pululam na política por esse país fora não tenham dado início a uma luta que há muito vem sendo adiada neste porco cenário machista em que nos envolvemos e atolámos perigosamente.  as grandes vigarices que surgiram após a queda do estado novo não são obra das mulheres.  nem cotas nem meias cotas, elas são a maioria do eleitorado.
varett

bombeiros? ah, só mais para o verão é que são considerados um exército de salvação nacional


vamos com calma, que este país ainda é do tipo américa latina (segunda metade do século XX) mas muito disfarçado. porque é que um palerma e idoso como eu faz este tipo de afirmação sabendo-se que portugal é uma democracia ainda sobrevivente na união europeia? para já, entre palerma e idoso, só sou idoso. palermas são todos aqueles que pensam que portugal mudou muito depois do 25 de abril. mudou, uma porra! lá por cada pelintra da nação ter carro e casa a prestações e um ordenado mínimo isso significa o quê? que os pobres se multiplicam como ovas de salmão para que os que substituíram as 60 famílias que antes nos governavam possam viver como nababos. milagre económico? não, foi-nos concedido crédito. e depois? depois, foi o que se viu. mas não quero ir por aí, mas escrever alguma coisa sobre os bombeiros. sou suspeito? sim, meu pai esteve no comando dos bombeiros de ponta delgada e sabemos o que isso representou lá em casa no tempo em que serviu naquela instituição como voluntário. nada que se compare com o que hoje se passa em portugal do continente e da ilha da madeira onde tudo arde ou está em vésperas de arder. bom, comecemos: como é que o país político olha os bombeiros? forças de segurança para esta espécie humana que se infiltrou nos corredores do poder, forças de segurança  e serviços de segurança interna  de portugal são as seguintes: guardas prisionais, gnr e setores, polícia marítima, polícia municipal, polícia de segurança pública. temos ainda a asae, a polícia judiciária, serviços de estrangeiro e fronteiras, serviços de informação de segurança e naturalmente coisas organizativas secretas cuja informação "não é para cada um". os bombeiros ficam de fora desta lista? os bombeiros são ou não forças de segurança? não, não são! forças de segurança só servem para prender, multar, invadir casas de terroristas sem esperar pelo nascer do sol como mandava a pide, perseguir e punir os desobedientes, etc. quer dizer são forças que servem para meter tudo na ordem. porém, quando o país começa a arder, não servem para nada. ah, por vezes prendem os que botam fogo e constroem frentes ativas de fogo por tudo que é erva seca. quando acontece, por exemplo, "efeito de chaminé" que rapidamente destrói habitações da nossa gente não se vê senão bombeiros e o povo a gritar pelos seus animais e casitas. e quantos polícias de segurança pública existem cá por casa? olha meu palerma, o número anda à volta de uns 47.000. e militares? olha, meu tonto, em 2010 havia 50.000. destes 7.500 eram fêmeas.  hoje, 800 andam por esse mundo de cristo a fazerem fretes à onu. eh pá, tanto psp e militares são exércitos? ora porra, tás burro ou quê! entoces não são! e os bombeiros? aqui é que a coisa fia mais fino. para mim, que também sou português, os bombeiros nacionais são uma força de segurança que está vocacionada para ajudar o povo ao contrário das outras forças cujas atividades não estão para aqui viradas. os bombeiros são a quem recorremos quando estamos aflitos. a psp faz o mesmo! sim, também. só que parte dela é que está para aí vocacionada... em que ficamos que é para acabar esta merda de texto? toma nota, estúpido: os bombeiros em portugal representam um exército com 42.592 elemento destes só uma parte  são profissionais. quantos são estes? qualquer coisa como 6.363 (informação. net). pois é, tudo que é para defender, proteger, ajudar diretamente as populações sai muito caro e não convém ao estado (à corja que o sustém) transformar as corporações de bombeiros numa organização inclusa numa força de segurança interna de portugal. percebes, agora porque é que portugal é ainda uma democracia do tipo américa latina? continuo sem perceber. oh, minha besta! toma nota: estamos perante um estado opressor que do povo quer tudo (os impostos são prova disso) e para tal organiza-se em forças de repressão. não é um estado preventivo porque isso significaria a inutilidade de certos políticos que quando há alguma catástrofe apresentam-se como salvadores da pátria e botam faladura. a coisa está muito bem feita. para quem? para eles, claro! e quando morrem bombeiros a tentar salvar a vida e os haveres das pessoas? os da boa faladura condecoram-nos e tornam-se muito mais ilegíveis. o povo não vê isso? ó palerma, este povo é latino-europeu.
varett

domingo, 7 de agosto de 2016

assunção cristas chefia a oposição enquanto passos coelho vai morrendo lentamente nas mãos dos órgãos de comunicação social


para quem percebe pouco de política (podia melhorar se eu estudasse mais) acho que a oposição, neste momento de indefinição económica e ética pública, está a ser conduzida por assunção cristas. não que passos coelho não se esforce para ser o chefe da oposição, porém, acontece que é assunção aquela quem oferece mais colorido na intervenção política. a morte política  muito lenta mas efetiva de passos coelho estima-se pelo pouco valor que os jornalistas imprimem e  veiculam as suas intervenções. a acrescentar a este fato está patente o desinteresse pelas últimas intervenções com que a população o presenteia. já o mesmo não acontece com assunção. a malta quer ouvi-la. e ela já não é nenhuma novidade, pois já chefiou ministérios de onde saiu airosamente. assunção cristas é, nesta época  -  toldada por um certo apodrecimento da dignidade com que os assuntos de estado são tratados -  uma cara lavada e muito mediática. não se trata de um feminismo que se quer impor num mundo machista como o nosso, mas sim de um tomar o poder pela via de uma intervenção política consistente e credível. a verdade tem de se dizer a respeito de cristas: a esperança da direita subir nas sondagens vai cair-lhe no regaço. dizer que atitudes como as que se observaram com as benesses galp não passam de um escândalo e que portugal é, hoje, uma república das bananas, não deixa de ser uma interpretação que o povo português gosta de ouvir da boca de uma alta personalidade do atual regime contra quem ocupa a cadeira do poder de um modo pouco transparente.
varett. 

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

jornalista ana lourenço no pódio. assunto: galpistas 1


ana lourenço, com aquele ar de testemunha sofrida pelo  crime político no bíblico gólgota, é daquelas jornalistas muito preparada e de fino trato, coisa que vai rareando nos dias de hoje. creio que se alguém ousasse cantar uma ária, por exemplo, como ella fitzgerald - mítica cantora de jazz -  e produzisse qualquer coisa com  mais de cem decibéis  que ana se quebraria qual taça de fino cristal. sem interromper os seus convidados, fá-los falar e discernir como melhor podem. hoje, por volta das 22 horas e mais qualquer coisa, começou com o prof. freitas do amaral. o professor, homem de grande cultura política, parecia um examinando perante o terrível chumbador de letras borges de macedo. o assunto galpistas faz fazer falar falar falar e nada dizer de concreto. fiquei na mesma e não percebi  até onde queria chegar freitas do amaral. como ana lourenço ia aparecer de novo na pantalha, lá me deixei ficar com o boneco na mesma estação televisiva, isto é, rtp informação-3 (que ultimamente tem subido uns pontos). fiquei de novo satisfeito com o que ouvi da boca dos seus dois convidados. um era professor (de quê? não ouvi) e o outro um ex-ministro. o professor disse claramente - e isto acerca do tema quente e ultimamente sempre presente: galpistas - que todos se viraram contra os secretários de estado beneficiados-galp e esqueceram-se de acusar a galp como tendo cometido algo que o código penal pune com multa e/ou prisão. o homem parece ser dos tesos. quanto ao ex-ministro, vale dizer que ele sobre o  mesmo tema disse algo que se enquadra  nos bons costumes da política lusitana: receber presentes. até ao ponto de uma vez consigo  - para não ser indelicado com os dadores - deixou que a bagageira do seu carro ficasse cheia de chouriços e outras coisas que não percebi bem o que eram. quem ofereceu a chouriçada não ia aceitar desfeita do senhor ministro. lá foi para casa o ministro com o carro a abarrotar (exagero meu) de mercearias que dariam para uma casa de família remediada durante uns tempos (exagero meu).  este assunto, como eu  atrás (sem modéstia alguma) vaticinei, vai fazer tantos estragos que vai parecer o vulcão dos capelinhas e a respetiva leva emigratória para o states. com certeza que a galp terá de ir a tribunal assim como outras empresas que por baixo da mesa têm distribuído farinha, leite, salsa, banha de porco, azeite, dormidas, etc., a políticos. não haverá neste país um magistrado que - perante as centenas  e sistemáticas  denúncias  surgidas nos ocs - os tenha no seu lugar e faça o que tem a fazer. isto é, polícia à porta e para dentro com eles   da viatura da judiciária que nesses casos corre a toda a brida para fugir aos flashes dos repórteres antecipadamente avisados? 
varett

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

regra número o um do código de conduta dos políticos




alínea a)
 -  o máximo que qualquer detentor de cargo político poderá de futuro aceitar de presente de empresas privadas entaladas e atafulhadas em dívidas ao estado  é uma galinha com apenas cinco pintainhos. modelo salazar. isto é, galinha do campo criadas nos jardins de são bento pela mão de dona maria, suposta governanta do velho político.